Três tendências tecnológicas de Inteligência Artificial na Web Summit 2019

A 4ª edição da Web Summit em Lisboa realizou-se nos dias 4,5,6 e 7 de novembro e juntou profissionais tech, startups, empresas, investidores e empreendedores de mais de 163 países naquela que é a já uma referência internacional ao nível da inovação e tecnologia de excelência.

Este ano o tema novamente em destaque foi o da Inteligência Artificial, tendo merecido a atenção e reflexão de inúmeros oradores, de um leque de mais de 1.200, que trouxeram ao palco a sua visão sobre as próximas grandes tendências tecnológicas do futuro. Um futuro que nas palavras de Brad Smith, Presidente da Microsoft, será “um tempo extraordinário de oportunidades” e que não ignora o impacto crescente que os avanços tecnológicos vão ter nas empresas, nas pessoas e na sociedade.

A começar pela internet, numa altura de transição para o 5G, e que segundo Lee Rainie (Pew Research Center): “Nos próximos 50 anos será muito mais poderosa: omnipresente (estará em tudo nas nossas vidas) onisciente (vai saber muito sobre aquilo que se passa à nossa volta) e quase omnipotente, com um poder tremendo no que fazemos e como fazemos.”

Machine Learning, Deep Learning, Customer Experience, Data, Cloud, DevOps e Automação foram os tópicos que marcaram a agenda e que nos levam a identificar as três tendências tecnológicas sobre Inteligência Artificial na Web Summit 2019.

A próxima década vai ser um tempo extraordinário de oportunidades. Haverá uma quantidade de dados no universo digital 25 vezes superior à de 2010, surgindo mais data centers e formas inovadoras de guardar e processar dados.

Brad Smith, Presidente da Microsoft

As três principais tendências de Inteligência Artificial na Web Summit 2019

1 – Cloud e Data Centers

Segundo o Presidente da Microsoft, Brad Smith, vamos assistir a um aumento significativo e progressivo dos dados no universo digital, o que obrigará a um maior investimento em data centers e ao mesmo tempo no armazenamento de dados em cloud. Desta forma, as plataformas cloud que hoje já permitem reduzir em parte os custos associados à tecnologia, serão uma tendência crescente na próxima década, chegando a mais países, de uma forma global. Uma ideia partilhada por Marcus Weldon, CTO da Nokia, que falou sobre a necessidade de evoluirmos para clouds locais, que em conjunto com o 5G, permitirão melhorias exponenciais ao nível da performance e da latência, por forma a atingir um melhor desempenho na disponibilização dos dados em rede.

2 – Produtividade e Data-driven

A tecnologia pode ter um impacto positivo na forma como trabalhamos, tornando-nos mais produtivos. É desta forma que Marcus Weldon olha para o potencial da Realidade Aumentada e consequente conceito de produtividade aumentada, afirmando que “se o conhecimento que tínhamos em 2017 duplicava a cada 13 meses, no futuro passará a duplicar a cada 12 horas”. O que nos vai levar necessariamente para uma aposta em ferramentas de Intelligent Assistance que permitem filtrar a cada momento – e de forma contextual – a informação de que realmente precisamos, tornando-nos, desta forma, mais produtivos. Novamente, a cloud será imprescindível , agregando todos os dados que serão disponibilizados e trabalhados 24h/dia.

A inteligência artificial assume depois um papel fundamental pela enorme potencialidade para transformar grandes quantidades de dados em conhecimento e expertise, tornando as empresas mais data-driven e mais capazes de tomar melhores decisões.

3 – Assistentes virtuais e Customer Experience

AI também será decisiva na transformação da customer experience e na relação das empresas com os clientes. A voz é apontada como a grande tendência enquanto canal de comunicação, e as assistentes virtuais vão estar cada vez mais presentes no dia-a-dia das pessoas e na forma como as empresas interagem e comunicam com os seus clientes.

No seu testemunho, Rohit Prasad, VP & Head Scientist da Alexa Artificial Intelligence, lembrou a importância de Machine Learning para criar experiências cada vez mais inteligentes, úteis, conversacionais e naturais com os clientes, que serão ampliadas sobretudo pelas capacidades de:

  • Active learning – as assistentes virtuais conseguirão antecipar as necessidades dos clientes através das múltiplas interações e da aprendizagem contextual;
  • Natural language understanding – a linguagem de inteligência artificial que permite aos computadores e assistentes virtuais interpretar e compreender textos e frases bem como a estrutura da linguagem humana;
  • Automatic speech recognition – que permite traduzir o áudio para texto.

Outras tendências

DevOps num mundo Cloud Native

DevOps continuarão a ser extremamente relevantes num mundo Cloud-native enquanto cultura de colaboração, de trabalho, comunicação entre equipas que em todas as fases do processo e ciclo de entrega de uma solução/aplicação vai continuar a permitir automatizar, gerir, testar e fazer deploy com mais segurança, rapidez e qualidade, reduzindo o risco de experimentação.

AGI (Inteligência Artificial Geral)

O conceito de inteligência artificial geral, referido por Brad Smith, fala sobre um futuro em que AI se vai tornar mais abrangente e transversal, permitindo à tecnologia aprender e retirar insights em todo o tipo de disciplinas, ao invés de estar restrita a determinados temas.

O futuro do trabalho tech enquanto propósito e liderança

A era digital em que o conhecimento e os dados são poder leva-nos à crescente necessidade de selecionarmos e distinguirmos melhor a informação que utilizamos em cada momento, com um olhar atento para a autenticidade e qualidade do conteúdo. Da mesma forma, num mercado de trabalho competitivo e cheio de oportunidades como é o tecnológico, para atrair e reter os melhores profissionais tech é essencial as empresas desenvolverem produtos/soluções que tragam valor real tanto para os clientes como também um sentido de propósito para os profissionais. Os lideres de hoje e de amanhã terão, assim, o papel fulcral de liderar para inspirar as suas equipas, criando uma cultura, por um lado, de transparência e partilha de informação, e, por outro, de colaboração e confiança em que os colaboradores participam ativamente para desenvolver valor acrescentado.

0

Países

0

Oradores

0

Investidores

0

Visitantes

0

Startups

Conclusão

A Websummit 2019 colocou sem dúvida a Inteligência artificial no centro da discussão e da evolução tecnológica, deixando evidente que podemos esperar uma IA cada vez mais ao serviço das pessoas, das empresas e da sociedade.

A Xpand IT esteve presente em mais uma edição, e não podia deixar de apresentar aos attendees uma ativação em Inteligência Artificial na Web Summit, de reconhecimento facial, desenvolvida pela equipa de Digital Xperience, com Azure Cognitive Services. O desafio foi simples: os muitos participantes que nos visitaram tiveram a oportunidade de fazer match facial com as personagens do Star Wars. Esta solução utiliza serviços Cloud de Inteligência Artificial e Machine Learning para através do reconhecimento de imagens faciais identificar a idade, o género e as semelhanças físicas.

Para além de aplicarmos IA através de serviços cognitivos específicos para o efeito, o nosso AI Solution Center também dá resposta a desafios de Data Science, utilizando tecnologia que com base na análise de dados permite extrair insights relevantes para o negócio e, inclusivamente, desenvolver modelos preditivos.

Web Summit 2019; Inteligência Artificial na Web Summit 2019
Sara GodinhoTrês tendências tecnológicas de Inteligência Artificial na Web Summit 2019

Leia mais em

Xpand IT Visionaries

Recomendados

Conheça as novidades, eventos e opinião dos mais reconhecidos experts
do universo de TI, nas áreas de Big Data, Business Intelligence,
Middleware e Mobile.